Comportamento, moda, fotografia, música, textos de amor e dicas. Um Blog com tudo aquilo que adoramos fazer antes de sonhar! – Por Mariana Solis

sexta-feira, agosto 06, 2010


The calling


Seu corpo tremia. Sua voz desparecia. Mas algo dizia que aquela era a hora, seria agora. Todas as ansiedades para um dia dizer tudo concentravam num único coração frágil - o dela. Sua mão encostada no telefone, não sabia se a voz dele a afetaria naquele momento como um dia fora o seu ponto mais fraco - atingia a sua ferida mais profunda. Doía. Hesitante, tudo mudaria - para melhor ou para pior, mas mudaria. Sabia que se não o fizesse se arrependeria mais uma vez. Chega de arrependimentos, afirmou para si mesma.
Ela: Só  espero que você não desligue na minha cara.

Ele: Quem é? - ela já não sabia mais falar, suas mãos tremiam e sua voz ameaçava sumir.
Ela: A mesma que te amou por seis anos. - a verdade, ela sabia disso
Ele: Quem é? - a ignorância transbordava na voz rouca que ela amava.
Ela: Não preciso falar. Acho que ninguém ama você como um dia te amei.
Ele: Ah, é você
Ela: É - quem mais seria? pensou
Ele: Ah, oi.
Ela: Não desligue. Presta atenção no que eu falo, realmente não sei se tenho coragem de fazer isso outro dia, já que não consigo mais guardar isso para mim. Chega.
Ele: Fala - ele agia naturalmente, ela segurava suas lágrimas.
Ela: Sabe, naquele dia ou talvez seis anos atrás tudo mudava. Em mim, não em você. E sabe, a ansiedade de te ver apenas uma mês por ano, me fazia cada vez querer ficar perto de você enquanto você estava aqui. Eu aceitava e ficava feliz com isso. Você me fez feliz todos os dias em que você esteve aqui. Posso não me lembrar de todos esses dias mas sei que fui feliz. Mas chegava a hora que você ia embora daqui mas nunca do meu pensamento. E sabia que o momento que você se afastava daqui, eu sabia que você só voltaria a pensar em mim no próximo ano. Ei, tá aí?
Ele: Sim, continua.
Ela: Por um lado, eu sempre achava que todos os outros dias sem você seriam recompensados quando você chegasse. Por outro lado, esquecia de ser feliz. E da melhor ou da pior forma, você sempre lembrou de ser feliz sem mim. E sempre foi feliz e sempre com alguém ao seu lado que você conheceu um mês atrás e depois já começava a namorar. Enquanto a idiota esperava 3, 4, 5 e 6 anos pra um dia escutar algo como 'eu te odeio'.
Ele: Eu jamais disse eu te odeio pra você
Ela: E jamais disse que me ama. - sua voz oscilou por um minuto. Sinceridade demais, sabia que isso a marcaria.
Ele: Mas não sinto o mesmo que você.
Ela: Eu sei disso, e por isso eu estou aqui fazendo isso. É difícil pra mim, por favor, me escuta. - ela chorava, ele não percebeu.
Ela: Mas sabe quando você quer muito falar algo, gritar pro mundo ou apenas pra uma pessoa tudo aquilo que acumula dentro de você? Então, isso aconteceu comigo. e no início, naquele estúpido site de perguntas anônimas eu comecei a contar tudo. Você queria muito saber quem eu era e do modo como você falava parecia que se eu dissesse você aceitaria, mas nao foi bem assim que aconteceu.
Ele: Eu não esperava
Ela: Nem eu.
Ele: Continua, eu to te escutando.
Ela: Mas sabe, as coisas começam a ir contra. Você já começou a ser rude comigo e me ignorava mais do que o de costume. E depois de muito chorar e de sofrer por alguém, e esse alguém você sabe muito bem quem, eu percebi que não quero mais sete ou oito anos querendo amar alguém que não me compreende.
Ele: Eu te compreendo e sei o que sente. Mas só não retribuo isso, não sou obrigado a te amar.
Ela: Eu jamais te obriguei e não é agora que eu farei isso. Só quero acabar isso de vez. Agora.
Ele: Então fala, eu quero saber então. - mentira estúpida, ele nunca quis.
Ela: Sabe, planejei muito quando encontrasse você novamente, o que até agora não aconteceu.Todas as minhas noites de insônia foram em vão, como todos os sorrisos que sempre te mostrei. Fui uma idiota, mas agora não sou a mesma. Talvez porque não te ame mais e deixei de ser aquela garota estúpida de antes e talvez ainda exista um pouco daquela garota, porque se não existisse não estaria fazendo isso.
Ele: Você não é idiota. - que irônico, ela pensou.
Ela: Enfim, eu queria te entregar uma carta, uma que já está meio rasgada e meio amarelada. Essa carta era a minha maior arma ou talvez maior plano para um futuro próximo. Planejava te entregar e sair correndo para chorar, como tenho vontade de fazer agora.
Ele: Não chora - devia ter falado isso mais cedo antes de sofrer o tanto que sofri, ela pensou 
Ela: Você nunca se importou com minhas lágrimas e não muda agora 
Ele: As pessoas mudam, não posso mudar agora?
Ela: Por seis anos você continua o mesmo. 
Ela: Agora, com seu sorriso para mais uma garota que acabou de conhecer, faço o melhor pra te esquecer, ou talvez nunca lembrar, como você faz. Cansei de querer sorrir pra você, cansei de tentar ser a querida. Nunca fui e por mais que eu quis isso antes, não adianta, sei que nunca vou passar disso: nada para você.
Ele: Você sabe que é diferente, você é legal e inteligente. Mas não dá, sinto muito.
Ela: Enfim, pensa o que quiser. Agora eu encontrei alguém mais perto para amar e alguém que mostre o caminho da felicidade mais próximo. Ele está me ensinando bem a sorrir e fazer bem e sumir com aquela idiota que escreveu a carta naquele dia. Você é feliz, por que não posso ser? Por mais que eu ainda queira entregar a carta, não quero te entregar mais o meu sentimento. Você não merece.
Ele: Eu sei, te fiz mal. Desculpa.Ela: Realmente queria que você dissesse isso no início. Talvez nunca seja tarde demais, mas por mais que você tire os pregos da madeira, as marcas ficam ali, pra sempre.
Ele: Sinto muito. 
Ela: Eu também. Só queria que por um instante você fosse sincero com as suas palavras
Ele: Mas eu estou.
Ela: Por mais que seja sincero, não dá pra voltar atrás. Arrependo de ter dito aquilo pra você, mas morreria sem aprender a sorrir sem você. Se te odeio, ou se te amo eu não sei. Mas em alguma parte de mim eu sei que meu coração ainda bate por você.


Ela desliga. Não queria respostas. Seu coração estava aliviado, todas as verdades e sentimentos sinceros ditas, com arrependimentos ou não, fizera a coisa certa. Seu coração mandara, a dor seria inevitável mas um dia teria que dizer. Se ela está feliz agora? Sabe que sim.
Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas sua opinião é sempre bem-vinda! Comentários desrespeitosos ou caluniosos serão banidos.
Fique livre para enviar uma sugestão, dúvida ou crítica: entre em contato comigo.
Certifique-se, antes, se a sua dúvida já está respondida no F.A.Q. Obrigada!

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...