Comportamento, moda, fotografia, música, textos de amor e dicas. Um Blog com tudo aquilo que adoramos fazer antes de sonhar! – Por Mariana Solis

quarta-feira, setembro 08, 2010


O Encontro

Ela podia ansiar por qualquer coisa. Ela poderia ansiar pelo almoço ou pelo primeiro dia de aula. Mas nenhuma ansiedade era extrema como aquela. Única. Incomparável. A maior delas. A que causava os maiores estragos. As maiores lembranças. Talvez fosse a pior sensação que tinha sentido por todo o ano. Todas as vontades e expectativas concentradas num único ponto: seu frágil coração oscilante. Ela não se sentia quente. Muito pelo contrário, ela quase congelava em pleno verão. Congelava sozinha. Dois casacos e o resto daquela cidade tomando sol no clube. Ninguém poderia sentir o mesmo que ela sentia agora. Toda aquela ansiedade era somente dela. Como poderia seis bilhões de pessoas continuarem vivendo suas vidas enquanto aquela frágil garota passava mal de amor? Eu não sei. Nem ela. Nem ninguém. 
Ela não vestira sua melhor roupa, mas foi quase isso. Vestiu o melhor olhar e o melhor sorriso. O mais sincero e pronto para ser usado quando seus olhos encontrassem os dele.
Mas enquanto algum taxi não parasse, ela o guardaria e usaria a pior cara do mundo de quem não consegue chamar um carro. Aquela cara de nervos a flor da pele quando tropeça no próprio pé de tão ansiosa e nervosa que estava. Parecia que tudo estava dando errado. A cidade estava mais congestionada e mais barulhenta. O semáforo parecia nunca abrir. O tempo parecia não passar. Cada segundo parecia duas horas torturantes. Parecia demorar uma eternidade para que ela apenas o visse. Era o que queria. Se pudesse somente vê-lo por três segundos, ela veria e lembraria para sempre. Ela queria sentir o seu corpo esquentar ao vê-lo depois de tanto tempo. Ela queria sentir o sangue quente correndo por suas veias e que a faria tirar os dois casacos. Não congelaria mais, estaria ao lado dele. Mas a eternidade não passava.
_Ei, senhor, quanto tempo vai demorar ainda? Estou com pressa.
_Chegamos moça.
_Obrigada. Seu dinheiro.
Ela pulou pra fora do carro. Olhou no vidro do táxi e conferiu a roupa e o cabelo. Tudo certo. Ou quase. Estava visível. Estava visível que ela estava a ponto de explodir de tanta ansiedade, felicidade ou qualquer outra coisa. Estava visível para seis bilhões de pessoas deste mundo ver. Mas ninguém viu. Era algo só dela.
Ela subiu as curtas escadas. Tocou o interfone. Ela imaginava o que estava pra acontecer a menos de dois minutos. Ele diria "Eu te amo! Esperei por isso o ano inteiro!" e a beijaria?
_Oi? Quem? Isso é trote? - uma mulher gritava no interfone, talvez a mãe dele. 
Ela pronunciou seu nome com muito cuidado, tentando mostrar toda a segurança inexistente. Não, não conseguiu. Ela subiu mais um lance de escadas até chegar à porta. Cinco segundos? Para ela, cinco anos. A porta abriu-se lentamente. 
Era ele.
Ela tentou vestir seu melhor sorriso, mas apenas conseguiu ficar ali parada. Imóvel. Os olhos quentes dele conseguiram esquentá-la por inteiro em questão de milésimos ou até menos. Toda a ansiedade valeu a pena, pensou. Ele manteve as mãos no bolso. Sua blusa de gola V parecia mais bonita, mas sabia que era a mesma. Seu cabelo parecia mais brilhante. Seus olhos pareciam duas amêndoas perfeitas. Como ele. O corpo esculpido como o de Apolo. Não tinha asas, mas conseguia fazê-la quase voar. Não era um príncipe. Mas ela sonhava com ele e com um final feliz. Mas aquele era apenas um novo começo, assim ela esperava.
Ele avançou alguns três passos em direção a ela. Ele colocou os braços em torno da cintura dela, apertando-a forte contra o peito. Se paraíso existia, aquele era o dela. O perfume cítrico penetrava-lhe a alma e marcava para sempre sua memória. Ele a olhou no fundo dos olhos, segurando seu rosto entre as mãos. Invonlutariamente, ali estava seu sorriso bobo. Sincero e sem ensaios. Cheio de amor.
_Oi. - ele disse com a voz rouca irresistível. Tudo em torno dela desaparecia. Ela tremia. E dessa vez, não era de frio. _Vamos entrar? 
(Continua)  
Comentem que eu posto a continuação! História real. Minha história.
5 comentários

5 comentários:

Anônimo disse...

Muito lindo! Perfeito! Continua, por favor!

Chokituu Blancoo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jessica costa disse...

Muito lindo ! E inrresistivel de ler , todos os seus post são inteligentemente lindos ,perfeito sou sua fãa e continua por favor

Mariana Solis disse...

Obrigada flor, fico muito feliz em saber que gosta! Vou continuar sim, mas talvez daqui umas duas semanas, porque hoje estou sem inspiração. Continue comentando! <3

Ana Luisa disse...

prima meu deus você escreve bem hein, eu que não so de ler li e reli achei lindoo. continua...

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas sua opinião é sempre bem-vinda! Comentários desrespeitosos ou caluniosos serão banidos.
Fique livre para enviar uma sugestão, dúvida ou crítica: entre em contato comigo.
Certifique-se, antes, se a sua dúvida já está respondida no F.A.Q. Obrigada!

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...