Comportamento, moda, fotografia, música, textos de amor e dicas. Um Blog com tudo aquilo que adoramos fazer antes de sonhar! – Por Mariana Solis

sexta-feira, fevereiro 17, 2012


"Nunca aprendi a amar"

A leitora T. entrou em contato comigo em busca daquilo que ela nunca sentiu... amor. Será que todos nós já amamos alguém verdadeiramente? Porque é muito fácil confundir uma paixão com coisa a mais, ou até amizade... Hoje, meu socorro vai para uma garota que sempre demonstrou todo seu potencial e capacidade de ser melhor. No entanto, sua mente sempre a contradisse. O foco virou sinônimo de indiferença, e a frieza tornou-se um dos seus piores defeitos. O que fazer por ser assim, tão egocêntrica? Tentei me expressar da melhor forma possível e entender os reais motivos dela ser assim, singular.
Vamos lá!
"Olá Mariana, tudo bom? Quero lhe contar minha história, preciso do seu conselho, gosto do que faz. Vamos direto ao assunto. Tenho 17 anos, estou no 3º ano do Ensino Médio. Comumente sempre consideraram-me uma das melhores alunas. O que obviamente, jamais fora em vão, uma vez que me esforço ao máximo nos meus estudos. Desde que me entendo por gente, vi-me muito focada, egocêntrica e perfeccionista. Minimalista, detalhista e um dos meus piores defeitos. O egoísmo. Talvez seja muito característico do meu signo, porque sempre me considerei uma pessoa super competitiva. Nunca admiti perder. Jamais engoli aquele papinho de que o importante é competir. Não! Para mim o importante é vencer, humilhar e nada mais. Eu que mando, eu sou tudo, sou a melhor. Eu, somente eu.
Se esse foi um mal de criação, seja por falta dos limites que meus pais e avós não me impuseram, tornei uma pessoa de difícil convívio. Elogios nunca me faltaram. Meu perfil esbanjava beleza. Comentavam dos meus cabelos, dos olhos amendoados, a pele sem acne. Tratam-me até hoje como perfeição. Por isso, me vejo como a beldade distante. Por mais que muitos me admirem, também admitem o quanto sou asquerosa, rude e sincera. Não meço palavras para falar o que penso. Sei bem o quanto já magoei as pessoas por ser desinibida e não ter medo daquilo que os fere. Se penso, falo mesmo, sem filtro algum. 
No entanto, quanto mais o tempo passava, vi-me imersa em relacionamentos frustrados e passageiros. Coisas de semanas, dias, até mesmo horas. Certo dia descobri o quanto os homens se sentem atraídos por mim. Amam meu corpo, meu rosto, mas sequer me veem além da "gostosa da balada". Aliás, creio que até seja melhor. Essa história toda de somente ficar, não permite que todos os inúmeros caras que já fiquei conheçam o meu lado negro e sombrio do dia-a-dia. Isso parcialmente me satisfaz. No fundo no fundo, não quero que ninguém me conheça. 
Não vejo a necessidade de algo mais profundo e duradouro. Amizade? Para mim só um bando de falsos que me chamam de amiga e depois me apunhalam pelas costas. Não sei confiar em ninguém além de mim mesma. Sequer terapia fez alguma diferença na minha vida. Sou desconfiada demais para alguém ouvir meus problemas. Você pode até não ter entendido, mas é o seguinte... Eu gosto dessas sensações supérfluas, íngremes e frágeis. Eu simplesmente não sei o que é amor. Nunca aprendi a amar. E nem sei se é isso que quero. 
Ajo pelo prazer, sem compromisso e sem alguém para ditar aquilo que não farei nem a pau. 
Minha mente foca-se apenas no que se vê de extrema importância. Meu futuro profissional, minha esfera de sucesso. A perspectiva essencial. O que me leva até à você, o que confesso ser um pouco idiota, porque nunca aceitei conselhos de alguém, é que um dia eu me arrependa de ser exatamente assim, como eu sou. Não que eu queira mudar da água para o vinho, o que eu acredito ser impossível. O fato que ainda não sei o que quero exatamente. Essa é a minha zona de conforto, sozinha, isolada, fria e desejada. Às vezes acho banal o jeito com que você fala sobre amor... Que porra de amor é esse? Entenda, não que eu não goste do blog, é muito bom por sinal. Mas para mim Mariana, não passa de uma fábula para boi dormir. Quero mesmo é que me desejem, mas jamais me possuam. 
É difícil de explicar, no entanto essa é a via em que me satisfaço. Bem, essa é basicamente minha vivência. O que pensa sobre isso? Peço que minha identidade não seja revelada. Obrigada." – T. M., 17 anos, via e-mail.
Oi T.! Estou ótima! Ah, e satisfeita por poder ajudá-la de alguma forma. Fiquei impressionada com a sua sinceridade e descrição do assunto. Gostei de ver como conseguiu contar isso para mim, em busca de algo que lhe faça refletir. Algo que notei foi sua determinação. Mostrou-se esforçada, o que também te tornou extremamente competitiva. Ao longo da sua mensagem, percebi duas faces de uma mesma pessoa. A presença de uma garota muito esperta, até mesmo traiçoeira e outra, em conflito com ela mesma. Aqui podemos conversar de igual para igual, espero que entenda o que quero lhe passar. Obstinada você é, no entanto, isso é apoquentação para muita gente. Você T., possui uma visão muito apurada e saturada sobre as pessoas. Diz que não sabe confiar, é de poucas amizades e pelo seu egoísmo, chega a ser rude com os que se aproximam. Essa atitude, como você mesma percebe, já os fizeram afastar de você, por motivos super aceitáveis.
Por que desejar sua companhia se você não os quer por perto?
Acho digno.
Porém T., como aqui eu me expresso, não posso deixar de falar o que penso e percebo diante do perfil que transcreveu. É perceptível que aja de uma forma digamos... aturdida. Algo como características que não são interessantes em uma pessoa. E o que mais digeri ao longo do texto, é que são exatamente essas as suas características que gosta de exaltar. O lado severo, rígido e frio. Bem, pouco sei do que retratou, aqui coloco um parênteses, onde pretendo colocar a minha percepção mais profunda da ocasião. Voltemos ao início, como fazem os psicanalistas. Algumas características são simplesmente nossas. De fato, muitas vezes é determinado no nosso gene, como será o nosso humor, se eventualmente podemos ser tomados por uma tristeza profunda... O que é científico, é que as maneiras com as quais nos expressamos, são tão singulares quanto nós mesmos. Por exemplo, algumas pessoas choram para aliviar um sentimento ruim. Outras jamais conseguiriam chorar por motivo algum. Algumas, aliviam tudo o que são capazes de sentir através de palavras. Disso que quero falar. Sua forma, por mais que pareça incômoda, não deve ser mudada. Assim como falou, não é só por querer ou acreditar, é que mudará da água para o vinho! Sinceramente, é uma impossibilidade. Aliás, nada aconselhável também, uma vez que mudanças drásticas de comportamentos causam uma instabilidade emocional enorme.
E isso pode ser pior do que imagina.
Analiso como uma válvula de escape. Para entorpecer esse seu lado que não agrada a todo mundo, encontra a saída no que atrai a maior parte dos caras. Sua beleza! Percebi o quanto a valoriza e por isso não deixa de chamar atenção. O único problema, T., que você pode não estar lidando com esse seu fascínio de forma vantajosa.  Mesmo que te satisfaça, nada disso é para sempre, não é? Apesar de não acreditar em amor, penso que a descrença dele seja fruto de anos que preferiu se ausentar do que encarar todos esses sentimentos. Eu, por exemplo, nem sempre escrevo daquilo que sinto ou senti um dia. Tenho muitos detalhes presentes que aprendi com as leitoras aqui do Blog. Se eu amo? Sim, e muito! Amor à vida, à quem me ama e amor à mim! E você se ama também, T.! Sua concepção de amor pode ser muito errônea, sabia? Não necessariamente estar em um relacionamento sério signifique ter de dar satisfações o tempo todo e fazer aquilo que não gostaria de fazer. Claro que existe o compromisso, a fidelidade. O importante, no entanto, é saber lidar com os defeitos e qualidades do outro, e dessa forma, encontrarem juntos o que têm de melhor. Se não acredita em amor, mas se um dia começar a senti-lo... não desacredite. Invente outro nome que não seja amor. Clichê, não parece? Sair da zoa de conforto, ter experiências diferentes é a maneira de descobrir o que te surpreende além daquilo que está habituada. Entenda, hoje você pode não acreditar em amor, mas pode esperar, que um dia será tudo na sua vida. E aí, T., terá certeza de que é exatamente isso que quer para ti, sempre. Espero que encontre os maiores valores que podemos ter. Torço por você!

Precisa de um conselho? Algo te incomoda? Quer desabafar?
Entre em contato comigo, marque o assunto "Entre Amigas" e envie sua história que farei o possível para te ajudar! Nenhuma informação pessoal será revelada no Blog.
Bisou bisou, Mariana.
5 comentários

5 comentários:

Ana Laura R disse...

Ótimo texto e gostei do conselho. Escreve muito bem.

Jaque disse...

Desculpe pela minha ausência aqui neste blog lindo, mas estou tão atarefada >.<
Adorei essa nova 'tag', seus conselhos são ótimos. Quando precisar vou mandar um email com certeza.
Xoxo

Anônimo disse...

curtir mil vezes

Antonia Chevallier Sundrani disse...

Antes de tudo, preciso dizer que estou in love com o seu layout!!! Ele é lindo demais!!!
Adorei essa tag! Você se expressa muito bem, e é ótima em dar conselhos.
Beijos, e parabéns pelo ótimo blog!!

Ann;
Vinte & Poucos

Renata disse...

Adoreei, você escreve muito bem, parabéns, bjos e obrigada pela visita oa meu blog, volte sempre*-*

http://toquaseprontaprasair.blogspot.com/

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas sua opinião é sempre bem-vinda! Comentários desrespeitosos ou caluniosos serão banidos.
Fique livre para enviar uma sugestão, dúvida ou crítica: entre em contato comigo.
Certifique-se, antes, se a sua dúvida já está respondida no F.A.Q. Obrigada!

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...