Comportamento, moda, fotografia, música, textos de amor e dicas. Um Blog com tudo aquilo que adoramos fazer antes de sonhar! – Por Mariana Solis

terça-feira, agosto 13, 2013


Suspeitos

"Somos suspeitos de um crime perfeito, mas crimes perfeitos não deixam suspeitos"
– Engenheiros do Hawaii
Você sabe onde quer chegar e tudo que deve superar para isso. Você não conhece o caminho, mas todo risco é válido. Você se sente pronta, mesmo ciente de que não será fácil. É uma chance que não lhe escapará entre as mãos. Alice é a sua personagem preferida, mas você está muito longe de querer ser ingênua como ela. O mais semelhante que pode querer é a persistência. Você gosta de acreditar até mesmo no impossível. É um último sorriso que você dá para o espelho antes de sair de casa. Pega a bolsa e fecha a porta com tanta leveza que mal faz barulho, você desce as escadas confiante. 
Pensa ter esquecido algo, mas lembra de que a única coisa que ficou para trás foi a velha você.
As garotas estão cantando alto quando você entra no carro. Você adora a animação delas e hoje você as promete: vou aproveitar. E elas vibram e te dão todo o apoio. Quem diria você, logo você que sempre foi meio careta, meio na sua, sei lá, meio fora do tempo. Quem diria que você estaria pronta para o que viesse nas próximas horas. No fundo no fundo você já sabe o que está para acontecer. É nele que você não para de pensar. Ele atormentou seus sonhos e até seus planos nos últimos, bem... tempos. Você sabe que é errado, afinal, tem pouco tempo que ele terminou um relacionamento. E a tal garota, pelo que já ouviu falar, tem mania de detetive. Que a deixe investigar, mas é você quem será lembrada. As suas amigas te chamam a atenção – Ei, fala alguma coisa cara! – e você se volta para dentro do contexto, que ainda é dentro do carro, no colo da Ana, conversando sobre o Fernandinho. A Ju está falando dele até agora e tudo o que as meninas fizeram foi planejar minuciosamente os passos dela. Mal sabem que o seu objetivo é muito maior. Você prefere o mistério, sua intenção é surpreender e, de preferência, a muita gente, inclusive elas. Você cansou de ficar em segundo plano e hoje vai ser diferente. Sem querer ser outra coisa, hoje você vai ser você como verdadeiramente é.
Na fila da balada você já começa a procurá-lo, mas bem provável que pela hora ele já esteja lá dentro. Esse fato só te deixa mais ansiosa, já que isso permite a sua imaginação criar uma companhia feminina com ele. Você afasta essa fantasia e tenta lembrar de que foi ele o primeiro a te convidar para a festa. Isso te alivia, mas você logo pensa: e se ele tiver convidado várias garotas?
Uma mensagem no Whats: vem logo, estou te esperando no bar.
Mais do que satisfeita com a resposta, você sorri. A Ana intuitiva como sempre, percebe seu momento felicidade. – Esse sorriso tem nome e sobrenome...
Você deixa a pergunta no ar e dá uma piscadinha.
Finalmente você entra e também o acha com uma facilidade incrível, quase como se ele tivesse um ímã para os seus olhos.
Só que prefere fingir que não o viu, não por enquanto.
Como as garotas te colocaram no plano Ju&Fernandinho, é hora de agir, afinal tudo começa por você. Então você circula pela pista, a procura do seu amigo e sente os olhos das amigas e quase que um outro olhar também em você. Impressão sua. Você precisa se concentrar na missão J&F. Ele está conversando com o Marco e tudo que você consegue pensar é como eles se aguentam há tanto tempo, são quase siameses de tão inseparáveis. Quando o Fernando te vê, vem ao seu encontro, de braços abertos e te aninha como quem sente saudade demais. Senti falta de você também, amigo, você diz. Durante a breve conversa, você sugere que os dois se juntem à você e às meninas, que estão logo ali, ao fundo. Eles olham e como quem lê os pensamentos, você os puxa pelos braços e os guia até lá, feliz por já ter dado certo. Você os apresenta às garota, e a Ju, que já o conhecia de outras festas, não perde oportunidade de jogar um charme quando o Fer a cumprimenta. Você sussurra no ouvido da Ana que vai ao banheiro e ela diz que vai contigo. Você retoca o batom que nem estava borrado e ela te pergunta o que você tanto esconde. Nada, nada, você vai ver, espera só. E saem do banheiro.
Nem precisou esperar tanto, quando vocês passaram pelo bar, uma mão tocou seu ombro e você se virou. Sim, você já está em chamas. Tudo te aquece por dentro e sente que por fora suas bochechas dão o sinal.
–Mari! – ele sorri –Pensei que você nem ia entrar, finalmente, hein?!
Finalmente mesmo, você pensa.
Sorri para Ana que de longe, nem viu que você ficou para trás e, ah meu Deus!, é o Henrique. Ela te olha como quem pede explicações e você olha como quem diz é isso que eu tanto queria, agora continue andando, amiga. Ela sorri, bate palminhas de empolgação e segue para onde as suas amigas estão. Já imagina a cara delas de surpresa. Você sorri para o Henrique, que começa a falar de toda a preparação para a festa. Você se mostra interessada enquanto ele conta sobre a correria toda e do DJ principal que entra em poucos minutos. Só que ele te trata quase como amiga e isso não se confirma pelo fato de hora ou outra ele dar alguma indireta ou segurar sua mão enquanto conversam. Ele está incrivelmente lindo, você é encantada pelo jeito que os olhos dele quase se fecham quando ri. A camisa pólo e o jeans claro caíram perfeitamente bem nele. Aliás, como ele consegue ser tão gato? Você se pergunta.
–O dj vai entrar daqui a pouco, preciso ir lá no camarim antes. Você vem comigo, Mari? – antes mesmo que você dissesse qualquer coisa, ele já pegou sua mão e entrelaçou os dedos nos seus. Ele te leva até lá e, apesar de não entender muito de música eletrônica, você já ouviu falar do cara. O Henrique te puxa para uma foto com a atração da noite, e mal sabe ele que você pouco se importa com isso. Vocês saem de lá e voltam para a pista e no mesmo momento o cara começa a tocar e todos vibram, inclusive ele. Você o confessa que não sabe como dançar isso e ele mostra as pessoas ao redor, que obviamente não dançam de um jeito, digamos, padrão. Você sugere um drink e ele adora a ideia. Você pede a sua margarita e ele a cerveja. Vocês se sentam numa lounge próxima dali.
E ele ainda segura sua mão.
A conversa flui de uma forma muito natural e isso te encanta cada vez mais, logo você, que sempre se achou reservada demais e o Henrique, o cara mais cobiçado, aquele que todas trocariam qualquer programa de sábado a noite por um cineminha que fosse com ele. Ele elogia a última foto que você postou, aquela de costas, num ângulo que você jamais tinha arriscado, só para mostrar sua tatuagem na costela. Ele diz que você estava linda e, ainda mais, que você fica muito bem com aquele batom. Ele sabe exatamente o que falar. Vê se pode. Aquela foto é mesmo a sua favorita e agora você tem mais um motivo e dos bons. Você sorri com todos as intenções de que um sorriso pode ter. Quase sem perceber, ele te rodeia com o braço por trás do seu pescoço e te aproxima do corpo dele, com a mão no seu ombro.Você garota, já é mulher e sabe bem o que quer. Para de pensar duas vezes porque, aliás, você já pensou demais.
As meninas te observam de longe e, claro, sequer imaginavam que ele estaria com você esta noite. As meninas gesticulam um vai logo, beija ele que até o Henrique percebe. Você abaixa a cabeça, claramente constrangida, quando ele te aperta e diz:
–Ah, para com isso, tá incomodada com suas amigas? Então olha ali! – e apontou para onde os amigos dele estavam, que olhavam para os dois e faziam gestos piores do que as meninas. Ele te fez rir tanto que doeu a barriga. Tudo estava ao seu favor. Ele vira o seu rosto, para que seus olhos encontrem com os dele. Você quase se esquece de respirar e espera que seu rosto não esteja um pimentão. Você não consegue entender o calor que emana do olhar dele. É impressionante o quanto ele consegue te envolver. Você fecha os olhos, como quem já sabe o que vem nos próximos minutos.
Você até sorri.
E, mais uma vez, ele te surpreende.
–Vamos sair daqui, então. Quero te levar a um lugar incrível.
Você olha sem entender, um pouco desconfiada. Ergue as sobrancelhas e espera uma resposta que te indique o lugar e, bem, as intenções.
–Eu prometo que não vou fazer nada, Mari. Confia em mim, você vai gostar. – ele te fita de uma maneira irresistível e você não consegue dizer não. Ele espera a sua confirmação, que foi se levantar dali e resmungá-lo: –O que você está esperando aí, mocinho?
Ele te olha satisfeito e suas amigas acompanham cada movimento de vocês até saírem da festa. Você não consegue entender a vontade repentina dele de ficarem sozinhos, afinal a festa é dele e dos amigos, ele te contou o quanto eles ralaram por esta noite. E nesse momento, tão de repente, ele quer ficar com você. E só você. Inimaginável. Inesperado. Você começa a achá-lo um verdadeiro mistério, mesmo que fale abertamente de tantos assuntos.
As suas amigas já começam a te chamar no grupo do Whats:
– Mari, como assim?! Que história é essa?
– Ahhh a Ju já está com o Fernandinho, você viu, Má? Agora você... bitch!
– Ai Mari, conta logo! H&M rola muito!
– Também quero saber pra ontem!!
Sorria. Você conseguiu.
E prefere o silêncio, mais uma vez. Finge que nem viu e tudo o que você quer para agora é aproveitar esse momento com ele. Ele abre a porta para você entrar e se adianta em tirar algumas pastas do banco de passageiro:
– Ó, você deve imaginar o quanto eu estudo –ele se debocha– que aí até para a balada eu trago meus trabalhos da faculdade.
Você entra rindo e ele fecha a porta, contorna o carro e se senta. Você confessa a ele que está um pouco de receio porque, bem, isso não é coisa que garota como você faça. Entrar em um carro de um praticamente estranho. Ele pega na sua mão. O silêncio é uma tortura deliciosa.
–Se você pensa assim, então eu estou disposto a te conhecer e mais ainda que você me conheça melhor.
E deixa nos cantos dos lábios um sorriso frouxo que, ah Deus, é irresistível. Você pensa e tenta calcular o poder das suas próximas palavras.
–Tá, hoje eu vou acreditar em você. Só aviso que não gosto muito de ser decepcionada, então me surpreenda, combinado?
É a sua vez de dar um sorriso intencionado. Ele concorda com a cabeça. Ele ligou o carro e deixou a música quase inaudível. Vocês conversam o trajeto todo e em vão você tenta reconhecer aquele caminho. Você nunca tinha passado por essas ruas e a ansiedade começa a te consumir.
Estamos chegando? – você pergunta.
– Isso responde?
Ele sorri, porque neste momento a estrada acaba e ele para o carro. Você percebe que, apesar de escuro, parece ser um lugar incrível de dia. Até de noite a visão é linda.
–Henr.. Henrique. Ah, isso é lindo. – é tudo que você consegue dizer.
Ele tira o cinto para se aproximar de você. O Henrique te envolve com gestos suaves, mas firmes. Ele tem tanta certeza quanto você. Ele te aninha no ombro, enquanto você ainda admira a paisagem a sua frente. As portas estão abertas, mas vocês permanecem dentro do carro. Mas de tudo isso, você não esperava nada.
Não dele. Não esta noite.
Ele te deixa deliciar com os pensamentos que você tanto gosta. Sua mente vai a mil. Ele é muito diferente do que você imaginava. Do rostinho bonito que muitas já sonharam em fazer um simples carinho. O toque dele te entorpece. Ele quebra o silêncio:
–Eu nunca trouxe ninguém até aqui, Mariana. Nem meus amigos, nem ninguém, porque você não é igual a todas as outras garotas. Sempre venho sozinho. Normalmente é quando não estou me sentindo bem. Eu encontrei este lugar quando meu avô tinha fazenda há poucos quilômetros daqui. E desde então, tem sido o meu refúgio. Gosto de ver a cidade daqui de cima, de certa forma me tranquiliza. Está tudo tão distante, não está? Olhando daqui, as pessoas sequer existem. Só vejo as luzes das ruas. Eu não preciso ver mais ninguém. E de dia consigo ouvir a natureza – ele faz uma pausa para você ouvir o som que vem de fora e é tudo verdade –É aqui que eu paro de ver o mundo, para que, enfim, eu me veja.
Você respira fundo, encantada com esse pequeno pedaço de tranquilidade no meio do turbilhão da cidade. Este lugar, principalmente com ele, te aconchega de tal forma que você é invadida por uma paz imensurável. Você até poderia pensar que ele já disse isso para outras garotas, que você não é a primeira garota que ele trouxe até aqui, mas não. Você prefere acreditar na sinceridade dos olhos dele. Ele segura o seu rosto e o vira na direção do dele. O olhar dele é terno e apaixonado. Você sente a respiração dele cada vez mais quente enquanto acabam os poucos centímetros que separam um sentimento recíproco. E ele te beija, lento e doce, que até mesmo seus pensamentos se silenciam. Agora, é só você e ele, mais nada nem ninguém. Ele aperta o seu corpo e você é cada vez mais tomada por ele. Por dentro, você consegue sentir uma completude que há muito tempo havia procurado. Mesmo sem acreditar em meias laranjas, ele te completa da forma mais intensa possível e nada se compara com o agora.
Você poderia, na sua lucidez, jurá-lo amor.
Você tem certeza de que o encontrou.
Ele tira os lábios dos seus, seus narizes se encostam, mas ainda assim aquela distância te deixa com uma sensação de vazio. O Henrique fita seus olhos e, mesmo que por eles você já tivesse entendido tudo, ele verbaliza a sua alma.
–Eu te amo.
Você não o deixa escapar dos seus braços e o beija como quem consente. Porque você realmente consente. – Eu amo você.
Você entende o poder desse lugar e a sintonia que emana a cada milímetro. Ele te abraça no mais perfeito encaixe. Seria até suspeito dizer sobre coração, porque até contra a anatomia vocês são. São suspeitos do mais puro sentimento, que de tanto ser amor, vocês são dois num todo coração. Você tenta definir e consegue: é tudo isso, é ele e, finalmente, é amor. Ele te beija e, mais uma vez, a vida te dá as respostas. Você parou de ver o mundo, permitiu se ver. E viver você e ele. Do amor, suspeito e perfeito.
3 comentários

3 comentários:

Criticando por aí - Caroline disse...

Que lindo Mari! Você escreve super bem! E ótima escolha aquele trecho da música dos Engenheiros do Hawaii. <3

Beijos,
Caroline
http://criticandoporai.blogspot.com

Rafaela Mawa disse...

PERFEITO! Nossa vc tem uma habilidade incrível pra escrever *-* tanto que me derreti toda com o comentário que deixou no meu blog! Mari Mari esse texto me identifiquei e amei, pensei que estava até lendo um livro de romance, e o seu blog é maravilhosamente lindo só não gostei de uma coisa, na sua bio vc diz que não é bonita! Absurdo isso viu moça vc é muito linda somente ao ler sobre vc já senti o seu sentimento o seu amor, humildade, carinho és uma garota maravilhosa! Eu sou mega apaixonada por ler e já vi que seu blog vai ser o meu maior refugio e o meu cantinho favorito! Foi realmente muito maravilhoso vc ter encontrado meu blog pois sinceramente me apaixonei por aqui *-*
um beijo enorme minha Cinderela!!

Moises Gomes disse...

Adorei o texto, parabéns :n

Nosso Capricho
apsmass.blogspot.com

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas sua opinião é sempre bem-vinda! Comentários desrespeitosos ou caluniosos serão banidos.
Fique livre para enviar uma sugestão, dúvida ou crítica: entre em contato comigo.
Certifique-se, antes, se a sua dúvida já está respondida no F.A.Q. Obrigada!

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...